Verità Tecnologia

Verità Tecnologia

Somos a Verità Tecnologia.
Temos tudo que você precisa para desenvolver seu projeto web. Suporte Ilimitado.
Hospedagem de sites, registro de domínio, comércio eletrônico, e-mail marketing e muito mais.

A sanção da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) completou dois anos em 14 de agosto e o Senado votou último dia 26 de agosto a medida provisória 959/20, que propôs o adiamento da LGPD. Mas na prática, a lei ainda não está em vigor e o início de sua vigência depende da sanção do presidente da República. Porém, muitas empresas estão correndo para se adaptar – já reparou que diversos sites e aplicativos estão atualizando as suas políticas de privacidade nos últimos dias?

O fato é que cedo ou tarde, a LGPD vai começar a valer. Mas em tempos de pandemia e home office, a nova lei traz consigo mais um desafio: manter a informação segura também na casa do colaborador. Segundo um estudo da consultoria Betania Tanure Associados, em março deste ano, 43% das empresas brasileiras adotaram o trabalho remoto, de lá para cá, o número aumentou e mesmo com a retomada, algumas companhias decidiram seguir no home office. E como cuidar dos dados nesse novo normal?

Vamos imaginar que um funcionário enviou um atestado ao RH por e-mail e o responsável precisou imprimir – porque ainda utiliza um modelo físico de arquivamento – e deixou o papel na impressora por alguns minutos. Nesse meio tempo, outro morador da casa foi buscar uma impressão e acabou vendo que o João, o tal funcionário, ficou três dias afastado porque estava com gripe. Para a nova lei, esse dado é sensível e se ele vazar, a empresa será penalizada – não importa se ele estava no escritório ou na casa do colaborador.

O exemplo acima, parece exagero, mas exemplifica o nível de cuidado que a LGPD exige. Uma saída será apostar cada vez mais em soluções digitais, que não usam papel, têm total rastreabilidade e rigorosos protocolos de segurança. Porém, algumas medidas podem ajudar neste novo momento:

• Treinamentos: conscientize sobre a importância da segurança da informação no dia a dia de cada um. Informe por que as medidas estão sendo tomadas e quais os seus impactos para tornar o ambiente mais seguro, mostrando os riscos de cada área e trazendo o contexto da proteção para atividade diária. O profissional do RH precisa saber que deixar o atestado na impressora é um risco.

• Políticas: crie protocolos para evitar que pessoas não autorizadas acessem a rede interna da organização. Atualize a sua política de proteção e se for o caso, o contrato de confidencialidade dos seus contratados. Além disso, não se esqueça de outros documentos essenciais como a política de privacidade e a política e cronograma de retenção de dados.

• Tecnologia segura: acesse a rede da empresa por uma VPN (sigla em inglês para rede privada virtual), que permite um nível de segurança maior para a rede interna por ser criptografada. Também disponibilize antivírus licenciado e atualizado para todos. Esse tipo de solução protege contra alguns tipos de ransomware, software malicioso que infecta o computador e sequestra as informações.

• Bloqueio: crie a cultura do bloqueio de tela. Oriente o colaborador sobre a importância de bloquear o computador quando estiver longe, mesmo que seja para pegar um café. Com o home office, o tempo daquela parada para fazer um lanche pode ser o suficiente para, por exemplo, uma criança enviar sem querer aquele e-mail incompleto.

A entrada em vigor da LGDP segue aguardando a sanção presidencial, mas já temos uma certeza: a nova regulamentação virá. E com todos trabalhando de casa, as companhias precisam prover proteção e treinar as pessoas para que ferramentas e processos estejam em compliance. Vale lembrar que a liderança também precisa se engajar e dar o suporte necessário para a propagação da cultura de segurança e cumprimento da lei.

Por Juliane Borsato Beckedorff Pinto, consultora de pós-venda da ao³

Via InforChannel

Quarta, 23 Setembro 2020 07:16

Novidades da Zebra miram varejo e logística

Computadores de mão chegam para aproveitar o boom do comércio eletrônico neste momento de pandemia

A Zebra Technologies anunciou seus novos computadores móveis corporativos, o TC21 e o TC26, voltados para diversas aplicações, mas principalmente o varejo e a logística, negócios que cresceram muito nos últimos meses por conta da pandemia da Covid-19. Também estão no radar os setores do agronegócio, saúde, indústria, governo, entre outros. Os equipamentos foram desenvolvidos especialmente para os negócios da América Latina, levando em conta as principais necessidades das operações atualmente, como o distanciamento social e ganho de eficiência. Os equipamentos serão comercializados por uma rede de mais de 700 pontos de vendas em todo o Brasil.

“Este momento forçou as empresas a acelerarem a jornada digital e diversos números mostram isso. A consultoria Ernest & Young diz que mais de 59% dos atendimentos já são por canais digitais, a Febraban afirma que 74% das transações bancárias são online e a Abcom divulgou um aumento de 400% no número de novas lojas virtuais no primeiro semestre”, diz Vanderlei Ferreira, presidente da Zebra Technologies Brasil.

Segundo ele, a alta na demanda pelo comércio eletrônico vem forçando as empresas a serem mais ágeis e seguras, com maior consistência entre os diferentes canais de vendas e opções de entrega mais rápidas. Também se tornou necessário atingir eficiência máxima com menos funcionários no local de trabalho.

Os novos computadores de mão da Zebra contam com sistema operacional Android 10 e chegam para oferecer mais produtividade e eficiência em empresas de todos os portes, incluindo pequenas e médias, já que podem ser adaptados de acordo com as necessidades do cliente. A única diferença entre os dois modelos é que o TC26 suporta chip de celular, enquanto o TC21 tem apenas conexão Wi-Fi.

Com scanner integrado e resistente a quedas, os dispositivos ainda oferecem transmissão de voz de alta qualidade e as diferentes opções de conectividade sem fio. Assim, trabalhadores e tomadores de decisão podem se comunicar sem a necessidade de aproximação física. Suas baterias de longa duração têm autonomia para cobrir turnos de 10 a 14 horas e são removíveis, podendo ser carregadas sem deixar o equipamento parado.

Além disso, o TC21 e o TC26 contam o Mobility DNA, um conjunto de ferramentas de software que otimiza o gerenciamento e o manuseio dos equipamentos. Os aparelhos também trazem o LifeGuard para Android, que garante acesso a atualizações de segurança. Já o Zebra OneCare fornece suporte e serviços técnicos.

Serviço
www.zebra.com

Via InforChannel

 

Próxima versão do navegador vai receber funcionalidade de segurança para impedir golpes chamados 'drive-by download', que baixam arquivos maliciosos no computador da vítima

Em mais um passo para o aprimoramento de proteção ao usuário, a Mozilla anunciou que o Firefox contará com novos recursos de segurança capazes de bloquear downloads automáticos de páginas infectadas com malware. O mecanismo deverá ser lançado em outubro e estará disponível no Firefox 82 — próxima atualização do browser.

Chamado de drive-by download, esse tipo de ataque geralmente ocorre quando um usuário acessa uma página contendo um código malicioso (em forma de scripts) inserido por um cibercriminoso. Assim que a página é visitada, o código se aproveita de falhas de segurança dos navegadores padrões e "força" um download automático, surpreendendo o internauta.

Caso o arquivo baixado seja executado pelo indivíduo, dados pessoais (como senhas bancárias e logins de contas) podem ser roubadas de seu dispositivo. O ataque também permite a desativação de recursos do sistema operacional, como internet, central de segurança, restauração do sistema, entre outros.

A nova proteção anunciada para o Firefox baseia-se em arquivos baixados de iframes em sandboxes — geralmente utilizados para carregar anúncios e widgets incorporáveis, como trilhas de música, vídeos e podcasts. Os cibercriminosos incorporam os códigos maliciosos nesses iframes, de forma a mascarar o conteúdo infectado e autorizar (sem o consentimento do usuário) o download do arquivo.

O Chrome foi o primeiro a bloquear downloads automáticos iniciados a partir de iframes em sandboxes com o lançamento do Chrome 72, em março de 2019. O recurso foi efetivamente incorporado na versão 83 do navegador, bloqueando qualquer arquivo baixado via iframes em sandboxes.

O Microsoft Edge é outro navegador que também passou a utilizar o artifício para garantir maior segurança aos seus usuários.

Um recurso semelhante foi oferecido à equipe do Safari, mas a companhia não anunciou nenhum plano para a implementação da aplicação protetiva.

Via: ZDNet

Quarta, 09 Setembro 2020 11:12

Novidades chegam ao WhatsApp Web

Depois de muita espera, o WhatsApp Web finalmente está liberando o modo escuro para todos os usuários. De acordo com equipe do site WABetaInfo, a novidade está presente na versão 2.2035.15.

Com isso, agora é possível escolher entre o modo claro, escuro ou até mesmo deixar que o aplicativo sincronize o tema com o Windows 10. Neste caso, o aplicativo se adapta automaticamente. Um outra novidade que está sendo testada pelo WhatsApp Web é voltada aos papéis de parede do mensageiro. O recurso ainda está em desenvolvimento e não há previsão para ser lançado.

Desenvolvedor mostra como acessar página de créditos do sistema operacional, algo que era até então desconhecido do grande público

O Windows 95 completou recentemente 25 anos, mas essa não é a única comemoração dentro da Microsoft atualmente. A empresa também está com algumas ações que relembram os 45 anos da sua fundação, e uma delas é diretamente relacionada ao também aniversariante sistema operacional lançado em 1995.

Em um vídeo publicado no canal Living Computers: Museum + Labs como parte das comemorações dos 45 anos da Microsoft, o desenvolvedor Jeff Parsons, que trabalhou na criação do Windows 95, revelou um segredo que era até agora desconhecido do público. De acordo com Parsons, a equipe de desenvolvimento do Windows 95 escondeu uma página de créditos com o nome de todos os envolvidos na criação da plataforma.

Para acessar os créditos escondidos, o usuário precisa fazer uma série de ações bem difíceis de alguém conseguir por conta própria, já que exigem a criação de pastas com nomes bastante específicos.

Como mostra o vídeo acima, para acessar a página secreta é preciso, para começar, criar uma pasta na área de trabalho chamada "and now, the moment you’ve all been waiting for" (e agora, o momento que todos vocês esperavam). depois renomeá-la para "we proudly present for your viewing pleasure" (nós orgulhosamente apresentamos para a sua apreciação); renomeá-la novamente para "The Microsoft Windows 95 Product Team!" (a equipe de produto do Windows 95!); por fim, basta abrir a pasta.

Feito isso, uma nova janela abre no Windows 95 com a exibição dos créditos de uma maneira bastante peculiar. Não espere por nomes rolando na tela como um filme: em vez disso, a apresentação é bem característica do Windows 95, misturando clip arts com músicas MIDI. Ao longo de 12 minutos, o nome de centenas de desenvolvedores que participaram da criação do sistema operacional aparecem na tela.

25 anos de Windows 95
Lançado no dia 24 de agosto de 1995, o Windows 95 mudou a história da computação pessoal com uma nova interface gráfica que simplificava o uso do sistema, e sua estreia mundial coincidiu com um momento em que os computadores pessoais estavam ganhando popularidade e eram cada vez mais presentes nos lares pelo mundo

Via: Gizmodo

Segundo ele, este tipo de sistema garante que criadores de fake news não sejam identificados; Gates tem sido vítima de notícias falsas após investir no desenvolvimento da vacina contra o coronavírus

Atualmente, Bill Gates, que é um gigante da tecnologia, empresário, filantropo e investidor, tem se demonstrado um forte parceiro no combate ao avanço da Covid-19 pelo mundo. O empresário tem investido intensamente em empresas que trabalham no desenvolvimento de uma vacina contra o vírus, no entanto, diversas fake news foram criadas em torno de seus investimentos.

Em entrevista à Wired, o empresário se posicionou contra a criptografia em apps de mensagens, como o WhatsApp. A criptografia é o processo de codificação de informações que impede que qualquer pessoa que não seja o destinatário tenha acesso às mensagens. O sistema garante a privacidade dos usuários de ponta a ponta e nem mesmo o WhatsApp tem acesso às mensagens dos usuários.

Segundo Gates, é este tipo de sistema que, apesar de ser importante, garante a proteção da identidade de pessoas que promovem diversas fake news, principalmente em relação a ele e o combate ao coronavíus.

“Quando você tem essas mensagens criptografadas, não há como saber quem está por trás delas. Eu pessoalmente acredito que o governo não deveria permitir que essas mentiras e fraude ou pornografia infantil [sejam escondidas por criptografia]”, disse Gates.

O WhatsApp, por exemplo, já teve inúmeros problemas com a Justiça brasileira por não liberar mensagens dos usuários que deveriam ser usadas em investigações criminais. De acordo com o aplicativo, eles não podem liberar o que eles não têm acesso, pois nenhuma mensagem é guardada em seus servidores.

Teorias da conspiração
O filantropo já é protagonista de fake news há algum tempo e, com a pandemia, as histórias falsas tomaram outras proporções.

Gates tem investido muito dinheiro para a criação de uma vacina contra o coronavírus e era este tipo de munição que os criadores de fake news precisavam. Não demorou muito para surgir a notícia de que ele estaria investindo no desenvolvimento da vacina com o objetivo de implantar microchips e escravizar todo o mundo.

Outra inverdade foi uma história em relação ao projeto SCoPEx, de cientistas de Harvard e que recebeu financiamento da fundação Gates.

Este experimento busca espalhar minerais na atmosfera para avaliar se é possível diminuir a absorção de calor da Terra e frear o aquecimento global. Logo, os teóricos da conspiração inventaram que Gates queria diminuir a luminosidade da Terra, para que isso baixasse a resposta imune das pessoas ao coronavírus e, assim, vender mais vacinas da Covid-19.

É este tipo de teórico conspirador que se esconde por trás das mensagens criptografadas que o empresário tanto critica, além de afirmar que os governos deveriam ter controle disso.

No entanto, graças ao fundador do WikiLeaks Julian Assange e o ex-analista de sistemas da CIA, Edward Snowden, sabemos que as mensagens criptografadas protegem nossa privacidade e que existem programas governamentais de monitoramento em massa.

Fonte: Yahoo

Posts aparecerão depois que você chegar ao 'fim' do feed, ou seja, ver tudo o que seus contatos na rede postaram nos últimos dois dias; conteúdo sugerido também vai incluir anúncios

Seu feed do Instagram acaba de ficar mais longo, e não é porque seus amigos estão postando mais. O Instagram está lançando um recurso chamado "posts sugeridos", vindos de contas que você não segue mas que têm temas que podem ser do seu interesse.

Os posts sugeridos aparecerão após o "fim do feed", ou seja, quando você já tiver visto todos os posts de seus contatos nos últimos dois dias. Segundo Julien Gutman, gerente de produto no Instagram, haverá anúncios entre os posts sugeridos, mas não haverá conteúdo do IGTV ou Reels.

Um feed "sem fim" é uma forma de manter os usuários grudados por mais tempo no app (ou "aumentar a retenção e engajamento", no linguajar dos profissionais do setor), sem falar que abre mais espaço para publicidade. É a abordagem adotada, por exemplo, por concorrentes como o TikTok.

Mas segundo Gutman, a motivação por trás da decisão é outra: "Queremos apesar tornar muito fácil para as pessoas encontrar mais conteúdo relevante quando chegam ao fim do feed. Esta é a real motivação, tornar mais fácil para você se aprofundar em seus interesses", diz.

Fonte: The Verge

Função chamada 'citações' procura facilitar o acesso dos usuários aos comentários em retuítes

O Twitter está criando mais um indicador de métricas de engajamento para os tuítes do site. Segundo o que apurou o site TechCrunch, o microblog vem fazendo experimentos com a adição de um botão chamado “citações” — próximo aos tradicionais botões de retuítes e favoritados — para que usuários também consigam monitorar quais discussões os seus tuítes estão promovendo na rede.

Segundo o que contou um porta-voz do Twitter ao Tech Crunch, a nova função procura tornar os retuítes com comentários mais visíveis aos usuários do microblog.

Durante os últimos dias, alguns usuários do Twitter já puderam visualizar o novo botão nos seus tweets.

Entretanto, o resultado apresentou críticas mistas: segundo alguns tuiteiros, o recurso é confuso, pois já estão acostumados com o botão de “favoritados” localizado no canto da direita na barra dos tuítes. Outros, aplaudiram o microblog por ajudar a separar as citações dos retuítes.

Atualmente, o recurso está em fase de testes e não são todos os usuários que conseguirão visualizar o novo botão. O site também segue alguns termos que darão o nome oficial da funcionalidade.

Novas funções e mudanças no Twitter
Ultimamente, o microblog lançou duas novas modalidades: a restrição de respostas a tuítes de usuários e as mensagens de voz em tuítes.

A primeira função permite que usuários consigam limitar respostas diretas aos seus tuíte. Isso acaba "fechando" o espaço para comentar e manter uma conversa pública diretamente com o autor do tuíte.

Já a função de mensagem de voz é uma ferramenta que possibilita que os usuários do site enviem tuítes com áudios de até 140 segundos (dois minutos e vinte segundos).

Via: TechCrunch

Ranking feito pela Opensignal traz Arábia Saudita na primeira posição e EUA fora do top 10

Enquanto o Brasil ainda "patina" na adoção do 5G em território nacional, países do mundo inteiro têm usufruído, cada vez mais, da nova geração de rede de internet móvel. Em termos de vantagens, o 5G apresenta grandes avanços em relação ao seu antecessor: melhor aproveitamento da banda, menos latência, redução no consumo de bateria, e maior cobertura. Mas a velocidade talvez seja o grande destaque da tecnologia

O 5G pode atingir velocidades até 20 vezes maiores do que o 4G — cujo potencial máximo pode limitar-se a 1 Gbps. No entanto, a rapidez da tecnologia varia de país para país e é discrepante até mesmo entre operadores diferentes de uma mesma região.

E foi justamente tentando entender as peculiaridades das velocidades 5G de países mundo afora que a Opensignal divulgou um estudo ranqueando os 10 principais países com as maiores velocidades médias de download da quinta geração da internet móvel. Com exceção da China, a empresa independente de análise examinou países da Ásia, Europa, Oriente Médio e América do Norte. Confira a lista abaixo (spoiler: os EUA não figuram no top 10).

1. Arábia Saudita
O primeiro posto fica com a Arábia Saudita. Com pouco mais de um ano após o lançamento dos serviços comerciais de 5G (ocorrido em junho de 2019, pela empresa STC Group), o Reino registra uma experiência de velocidade média de download de 414,2 Mbps.

2. Coreia do Sul
Mundialmente reconhecida pelo incentivo à tecnologia, a Coreia do Sul foi o primeiro país do mundo a lançar o 5G comercialmente, no dia 3 de abril de 2019. Na época, a implantação foi realizada pela SK Telecom Co., KT Corp. e LG Uplus Corp, que tiveram forte influência na grande cobertura observada no país — atualmente, 85 das mais de 100 cidades da Coreia do Sul possuem cobertura ao 5G. Não à toa, o país registrou mais de seis milhões de assinantes do 5G em abril deste ano. A velocidade média de download do segundo lugar alcança 312,7 Mbps.

3. Austrália
Apesar de a Austrália apresentar uma das maiores velocidades médias de 5G no mundo, a cobertura do serviço deixa a desejar. Pouco mais de 10 cidades — como Sydney, Melbourne e Camberra — contam com a tecnologia, cuja velocidade média é de 215,7 Mbps.

4. Taiwan
Iniciada em Taiwan em 1º de julho, a tecnologia 5G é bem recente no país. O serviço nas cidades metropolitanas foi implementado pela Far EasTone e a rede de acesso de rádio (RAN) e tecnologia de núcleo 5G são exclusivos da Ericsson. A velocidade média de download do 5G no país chega aos 210,2 Mbps.

5. Canadá
Com velocidade média de download de 178,1 Mbps, o Canadá vive uma situação semelhante a de Taiwan. A tecnologia chegou recentemente ao país, mas já cobre as principais cidades do território, como Vancouver, Calgary, Edmonton, Toronto, Ottawa e Montreal. Diversas operadoras devem lançar os serviços de 5G em 2021, aumentando ainda mais as expectativas de melhorias no setor.

6. Kwait
Embora o 5G esteja disponível no país desde 2018, os serviços comerciais da tecnologia tiveram início em junho de 2019. O Kwait ocupa a 6ª posição da lista, com velocidade média de download de 171,5 Mbps.

7. Suíça
Além dos relógios e chocolates, a Suíça também pode ser reconhecida pela sua tecnologia 5G. O país foi um dos primeiros a implantar os serviços do sucessor do 4G, mas a expansão da tecnologia foi "freada" devido aos temores de saúde sobre a radiação das antenas 5G. A demanda de cobertura em todo o país deve ficar a cargo das operadoras Salt, Sunrise e Swisscom. A velocidade média de download do país fica em 150,7 Mbps.

8. Hong Kong
Embora os serviços 5G estejam disponíveis em mais de 90% das principais áreas da Ilha de Hong Kong, a tecnologia chega em apenas 11 dos 18 distritos do território. Com início dos serviços em 1º de abril de 2020, a tecnologia 5G no local possui velocidade média de download de 142,8 Mbps.

9. Reino Unido
Com velocidade média de download 5G de 133,5 Mbps, o Reino Unido também foi um dos pioneiros na comercialização da tecnologia — que teve início em maio de 2019. Apesar de as quatro principais operadoras do Reino Unido oferecem serviços 5G, a cobertura não é tão abrangente como o esperado.

10. Alemanha
Na última posição do top 10, a Alemanha destaca-se no quesito cobertura: estima-se que cerca de 40 milhões de alemães utilizem a rede 5G. A velocidade média, no entanto, fica bem abaixo dos outros países do ranking, alcançando 102 Mbps.

Outros países
Fora do top 10, Holanda e Estados Unidos têm "presenças de honra" no ranking divulgado. Mas a decepção fica por conta do território americano, que apresenta velocidade média de download de 50,9 Mbps — menos que o dobro do serviço 4G.

joshua-hoehne-7s1j-DZ5KYQ-unsplash.jpg

Vizinho do Canadá e uma das maiores potencias mundiais do país, os EUA ficaram de fora do top 10, apresentando velocidade média de download 5G de 50,9 Mbps. Foto: Divulgação/Opensignal

As razões para os EUA figurarem na 12ª posição podem ser uma combinação da limitação do serviço no país e da popularização do espectro de banda baixa que, apesar de se sair bem no quesito cobertura, deixa a desejar no assunto rapidez.

No entanto, é bom lembrar que o serviço 5G baseado em mmWave da americana Verizon, oferece velocidades médias de 5G que alcançam 494,7 Mbps (mais rápidas que a velocidade média da Arábia Saudita).

Conheça as maiores fraudes no e-commerce brasileiro e entenda como criar mecanismos de defesa para proteger seu ambiente virtual.

É comum ver noticiários com informações sobre o uso indevido do cartão de crédito, o que gera transtorno tanto para a empresa quanto para o consumidor. Com isso, as fraudes no e-commerce são responsáveis pela insônia de muitos empreendedores desse modelo de negócio.

Infelizmente, isto é frequente no comércio eletrônico, causando prejuízo financeiro para muitos lojistas que, sem meios de comprovar a ação fraudulenta, são penalizados com a desconfiança dos usuários. Para ajudá-los, listei as maiores fraudes no e-commerce brasileiro e como criar mecanismos de defesa para aumentar a proteção do ambiente virtual.

1.Testadores de Cartão
Se perceber um comportamento estranho de pequenas compras em um curto espaço de tempo, sua loja pode estar sendo vítima dos chamados "testadores de cartão". Os cartões clonados ou obtidos dentro da ilegalidade precisam ser testados para saber se estão aptos às compras. Quando encontram uma loja virtual vulnerável, realizam diversas transações até conseguir alto volume de compras.

2.Fraude dos pagamentos online
A hora do checkout, quando acontece a efetivação do pagamento, é propícia para as tentativas de ações fraudulentas. Para finalizar a compra, o usuário precisa informar os dados pessoais e do cartão de crédito, além do código de verificação (CVV). Se a plataforma não dispor de um sistema antifraude com travas de segurança e rastreabilidade, certamente será difícil identificar atitudes suspeitas e tomar providências cabíveis.

3.Roubo de dados
O roubo dos dados do usuário permite que o cyber criminoso se passe por ele e efetue transações nos e-commerces, principalmente naqueles em que os dados estão salvos para compras futuras. Informações pessoais como nomes, endereços, e-mail ou informações de cartão de crédito ou conta bancária são as mais visadas pelos fraudadores. De posse desses dados, eles assumem a conta do consumidor.

4.Auto-fraude
Essa fraude é um comportamento de má-fé do próprio usuário que realiza a compra, recebe o produto e contesta os valores cobrados e alega que não fez qualquer compra no e-commerce. O consumidor tem até 180 dias para contestar os valores cobrados na fatura e é exatamente o que ele faz. Monitorar o usuário que tem o hábito frequente de questionar as compras pode ajudar a detectar se trata de um adepto à auto-fraude.

5.Password cracking
O que não falta no mercado são hackers dedicados a descobrir as senhas dos usuários. Quando isso acontece, o invasor utiliza a senha para entrar no sistema e alterar os endereços de entregas dos produtos adquiridos. Essa prática gera transtorno para ambas as partes e demora a ser percebida. O cliente insatisfeito com a demora da entrega, não percebe que pode ser vítima de uma fraude. O e-commerce, por sua vez, vai absorver o prejuízo e será obrigado a devolver o valor ou enviar um novo produto ao comprador.

Mas, há algumas medidas que podem ser adotadas para inibir as ações fraudulentas e proteger tanto o e-commerce quanto os consumidores: automação de processos de pagamento, implantação de sistema antifraude, criação de histórico de fraudes com identificação de recorrências, monitoramento de compras contínuas em um mesmo dia, sistema especializado em análise de risco com foco na prevenção e certificação de segurança.

A segurança e comodidade de acesso para o consumidor são fatores essenciais para que o e-commerce ganhe visibilidade e se torne referência no mercado. Prevenir as ações de fraudes é também uma forma de proteger o próprio negócio e proporcionar um acesso seguro para garantir maior rentabilidade e lucro.

*Por Patrick Negri, co-fundador e CEO da iugu, primeira plataforma online para automação financeira do Brasil. Nascido em Dourados, no Mato Grosso do Sul, desde cedo percebeu suas habilidades na área de programação, além da grande aptidão para empreender. Aos 16 anos começou seu primeiro negócio, um mecanismo de busca online e, algum tempo depois montou uma agência digital que desenvolvia sites de vendas. Com maiores aspirações e, mesmo sem terminar os estudos, se mudou para São Paulo, onde trabalhou como CTO de uma grande empresa do segmento financeiro, até 2012, quando teve a ideia de fundar a iugu.