Estamos prontos para atendê-los.
Chame-nos: ico whatsapp

Segundo site, entre as contas afetadas pela falha, estariam as de celebridades como Justin Bieber e Cristiano RonaldoUm bug está apagando milhares (em alguns casos, até milhões) de seguidores dos perfis de alguns usuários do Instagram, reportou nesta quarta-feira o Business Insider.De acordo com o site, entre os usuários afetados pela falha estariam celebridades como Kylie Jenner, Cristiano Ronaldo, Justin Bieber e Selena Gomez, cujos perfis foram monitorados pelo consultor de mídias sociais Matt Navarra.Os usuários da rede social de fotos teriam começado a notar as mudanças em suas listas de seguidores na terça-feira à noite, e alguns perceberam que elas diminuíram às centenas ou milhares rapidamente. A página Down Detector, que monitora problemas em websites (quando eles saem do ar, por exemplo), recebeu uma avalanche de mensagens de usuários do Instagram reclamando do problema, reportando uma queda drástica em seus seguidores de repente.O Instagram reconheceu a falha. Num post…
Em 17 meses, número de brasileiros que dizem ter conta na rede recua 5 pontos, para 56%O número de brasileiros que afirmam ter conta no Facebook registra tendência de queda, aponta pesquisa Datafolha.Segundo levantamento realizado no início deste mês, 56% dos entrevistados disseram ter conta no Facebook. Em novembro de 2017, 61% afirmaram estar na rede social de Mark Zuckerberg.Em 17 meses, a queda é de cinco pontos percentuais.Entre os entrevistados pelo instituto, 71% estão em ao menos uma rede social.O WhatsApp mantém a liderança e está no celular de 69% dos entrevistados.Atrás aparece então o Facebook, seguido por Instagram (35%) e Twitter (14%).Os índices do WhatsApp e Instagram se mantiveram próximos da série histórica das últimas pesquisas. O Twitter caiu de 18% para 14%, entre 2017 e 2018, e segue estável.Em julho passado, o Facebook divulgou que havia atingido a marca de 127 milhões de usuários ativos mensais no…
Hoje metade dos centros de compras ligados a grandes grupos do setor já tem iniciativas digitais e a outra metade estuda ter shoppings virtuais, afirma o presidente da a Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai O shopping não é mais o mesmo. Pressionado pelo avanço do comércio online que mudou a forma como as pessoas fazem compras, seja na loja física, na tela do celular ou até misturando vários canais de vendas, o templo do consumo está reagindo para sobreviver. Além de oferecer cada vez mais serviços, espaço para lazer e conveniência, muitos shoppings estão assumindo uma nova função: começam a virar também uma espécie de minicentros de distribuição de mercadorias adquiridas nas lojas online e no marketplace, que é o shopping virtual, inclusive dos próprios shoppings. Hoje metade dos centros de compras ligados a grandes grupos do setor já tem iniciativas digitais e a outra metade estuda…
De acordo com pesquisa realizada pelo Sebrae sobre varejo online, 52% dos negócios online atuam em shoppings virtuais Usar canais de venda na internet deixou de ser uma tendência e tornou-se uma necessidade. A 4ª edição da Pesquisa Nacional de Varejo Online, realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) em parceria com E-Commerce Brasil, Lojas Integradas (VTEX) e B2W, mostrou que os empresários que atuam no e-commerce pretendem ampliar suas vendas em Marketplaces, até 2021. Atualmente, os shoppings virtuais já são considerados a principal plataforma de e-commerce utilizada por microempreendedores individuais, microempresas e empresas de pequeno porte, alcançando a preferência de 52% das empresas pesquisadas. A pesquisa revelou que 30% das empresas consultadas trabalham apenas com e-commerce, 22% atuam com loja física e e-commerce e apenas 12% dos empreendimentos possuem apenas loja física. “O e-commerce é uma opção de compra cada vez mais frequente do…
Em 2018, o cenário do comércio eletrônico nacional e internacional foi surpreendente: ao redor do globo, destacaram-se a China, com uma queda de 7,6%, e os Estados Unidos, com uma alta de 13,2% em relação ao período anterior. No Brasil, independentemente da instabilidade política, econômica e social, o e-commerce alcançou um aumento de 10,6%, no que se refere aos compradores digitais de 2017, chegando a 73 milhões Além disso, o mobile definitivamente se tornou uma realidade — conforme previsto no ano passado —, pois as visitas (66%) e as vendas (53,8%) por dispositivos móveis ultrapassaram as feitas por desktop. Mas e para 2019, o que esperar? A seguir, confira as três principais tendências que servirão de guia para a elaboração das estratégias deste ano. 1. Geração Z e vídeo marketingDe acordo com a ONU, a geração do século 21 ultrapassará a dos millennials (ou Y, nascidos entre a década de…
Página 1 de 6